Sociedade Egípcia

A sociedade egípcia era hierárquica, isto é, algumas classes tinham mais privilégios que outras. O governo era teocrático, ou seja, o faraó era considerado uma divindade.

 

No topo da sociedade estava o faraó que era o governante do Egito. Possuía poderes totais sobre a sociedade egípcia, poderes estes herdados hereditariamente.

 

Abaixo do faraó e sua família estavam os sacerdotes que eram responsáveis pelos rituais religiosos e pelos templos. Aqui também estavam os chefes militares, responsáveis pela segurança do território egípcio.

Em seguida estavam os escribas, responsáveis pelos registros. Escreviam no papiro (espécie de papel feito de fibras da planta papiro), ou nas paredes. Os escribas também controlavam e registravam os impostos cobrados pelo faraó.

Abaixo estava o povo egípcio formado por comerciantes, artesãos, lavradores e pastores. Estes também podiam ser convocados pelo faraó para trabalharem em obras públicas (diques, represas, palácios, templos, etc.).


Por último estavam os escravos, indivíduos geralmente capturados em guerras de conquista. 

MESTRADO PROFISSIONAL EM ENSINO DE HISTÓRIA – PROFHISTÓRIA

Disciplina: Ensino de História da África e da Cultura Afro-Brasileira

Professora: Dr.ª Claudia Mortari

Mestrando: Robson Rodrigo Pereira da Fonseca

udesc.png
profhistória.png